HISTORIA

Antes da Nova Constituição da República Federativa do Brasil em 05 de Outubro de l988, nós, trabalhadores em empresas de serviços contábeis, não tínhamos representação sindical a qual nos representassem. Com o advento da referida Constituição da República Federativa do Brasil, e sua previsão no Capitulo II - Dos Direitos Sociais - Art.8º - É Livre a associação profissional ou sindical, observado com os seguintes incisos respectivos - I, II, III, IV, V,VI,VI e VIII, tomamos a iniciativa de constituir a nossa organização Sindical.

Raimundo Pereira do Nascimento, funcionário de empresa de serviço contábil, e alguns empregados tomaram a iniciativa de se reunir para proceder à formalização de uma entidade sindical, que pudesse representar os empregados em empresas de serviços contábeis no Distrito Federal.

Nesse momento não tínhamos Piso Salarial, Auxílio Alimentação, Transportes Gratuito, Quinquênios e outros benefícios. Em novembro de 1988, reunimos vários empregados e tomamos a iniciativa de visitar empresas de serviços contábeis. Logo após, formalizamos a primeira Assembleia Geral Extraordinária para a Fundação e Constituição de um Sindicato Laboral, o Sindicato dos Empregados em Empresas de Contabilidade do Distrito Federal - SINEECON - DF, com o lema (LUTA, TRABALHO E SOLIDARIEDADE).

Em 1989, foi nossa primeira vitória. Com todas as dificuldades, realizamos e registramos a PRIMEIRA CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO, na qual incluímos as cláusulas históricas, conquistas sociais e a manutenção da Data Base da categoria profissional para 01 NOVEMBRO, juntamente com o Sindicato Patronal, o SESCON-DF, na formalização do Primeiro Acordo Coletivo de Trabalho.

Em 1990, o Ministério do Trabalho e Emprego concedeu a nossa categoria profissional a Carta Sindical, que regeria a nossa representação e jurisdição sindical, conforme estabelecido em sua redação: “Representar todos os empregados em empresas contábeis do Distrito Federal.”.

Companheiros! A luta começou! Os proprietários de Escritórios de Contabilidade não queriam cumprir as regras da Convenção Coletiva de Trabalho. Com o meu pulso firme, exigi que todos os processos de homologação das empresas cumprissem as normas dispostas na Convenção Coletiva de Trabalho (CCT).

Sempre de forma rigorosa, consegui que a categoria mantivesse seus direitos. Espero que a luta continue e que o atual Presidente, o Senhor Deusdete Bispo de Melo, tenha êxito e consiga junto com a nova Diretoria - Triênio 2015/2018 - muito sucesso e que estabeleça lutas na defesa da categoria profissional.

Fundado pelo Sr. Raimundo Pereira do Nascimento em 12 de outubro de 1989, enfrento muitas dificuldades até conseguir se firmar e sustentar com as próprias receitas, muitas vezes tirando dinheiro do próprio bolso pra publicar um edital ou registrar uma ata no cartório. Sempre trabalhou sozinho nas funções burocráticas e fazendo homologações passando as vezes até necessidades pessoais e se privando de vários prazeres. Seu jeito serio e cara de mau, até assusta, mas no fundo é uma pessoa que sempre pensou no bem estar dos outros, defendendo com unhas e dentes essa categoria, que se não fosse ele talvez não existisse. Foram 26 anos de sua vida ou melhor uma vida inteira de dedicação , deixando até de viver pra si mesmo, como por exemplo sem viajar, tirar férias, curtir mais a família etc. A partir de Novembro de 2015 uma nova Diretoria, com foco no trabalho e dedicação e tentando melhorar, buscando beneficio pra essa classe trabalhadora e sofredora.

A nova Diretoria para o triênio 2015/2018, representada pelo seu presidente o Sr. Deusdete Bispo de Melo, teve bastante dificuldade mas dedicou-se totalmente com muita luta, vontade e disposição, iniciando seu mandato com a implantação do nosso site que trouxe divulgação, informações e um balcão de emprego para os membros e associados alem da transparência e clareza. Fizemos adequação do código civil ao nosso estatuto social alem de alterar nossa abrangência nos serviços Auditoria, Consultoria, Pericia, Tributaria Contábeis. Sem muitos problemas fechamos a CCT 2015/2016. Tivemos nosso primeiro embate no dissidio 2016/2017 que com atraso e tudo tivemos exito na justiça, apesar da demora no julgamento e perda do retroativo, mas tivemos conquista significativa. Veio a reforma trabalhista com a lei 13.467/17, tornando a contribuição sindical facultativa e ao mesmo tempo deixando os sindicatos perecerem. Sem exito na nova data base de "Janeiro" fomos obrigados a entrar novamente com dissidio em 2018, infelizmente até o final de nosso mandato ainda não aconteceu o julgamento. Desejamos toda sorte e discernimento ao novo presidente o Sr. Wiliam Domingues Neves que desenvolva um bom trabalho em seu mandato de 2018/2022.

  • Wiliam Domingues Neves
  • Antônio Mendes de Sousa
  • Sergio Ricardo de Oliveira Almeida
  • Abel Lacerda Junior
  • Lusifran Vieira da Rocha
  • Francisco Souza dos Santos
  • Rubens Germano Raimundo
  • Wilson Teixeira Barbosa
  • Francisca Telma de Lima Amorim
  • Valdemar Herculano da Silva Junior
  • Antonio Carlos Barbosa
  • Irismar Araujo Mariano
  • Wiliam Domingues Neves
  • Antonio Mendes de Sousa